120ª Permuta 4ª de 2010

A  10 e 11 de Dezembro realiza-se a  120ª Permuta Inter-Sócios

 Veja aqui algumas das moedas mais significativas desta Permuta


5ª Edição do Catálogo Alberto Gomes

Ainda estão disponíveis alguns exemplares da 5ª edição - 2007, do Catálogo Alberto Gomes

"MOEDAS PORTUGUESAS E DO TERRITÓRIO QUE HOJE É PORTUGAL"


As Notas e a História

 Apólices do Real Erário

São notas de emergência emitidas para certo prazo e em certas circunstâncias, para  resolver dificuldades financeiras.Mais...>

 

Nota Banco de Portugal 100.000Réis Ouro-30/09/1910, ch,2 s/República –Pick111

Nota que em A/ mostra a partida de Pedro Álvares Cabral para o Brasil, despedindo-se de D.Manuel I.

No R/ sobre a Coroa das armas reais a palavra “REPÚBLICA” a preto.

É emissão de 2.060.000 notas de 22/05/1908, 10/03/1909 e 30/09/1910. Foi retirada de circulação em 08/10/1926 e em 10/07/1925 apareceram as primeiras notas falsas.

Este exemplar em BC+ é bastante raro e vai a permuta 97 por € 2.000

 

Portugal 500$00 – 29/09/1942, ch.7 Pick155

Damião de Góis (1502-1574), célebre cronista português, é o A/desta nota que tem elementos da Igreja de Santa Cruz de Coimbra.

R/ Púlpito da Igreja de Santa Cruz em Coimbra. A marca de água é a cabeça copiada do medalhão manuelino, existente nas colunas do túmulo de D.Afonso Henriques da Igreja de Santa Cruz em Coimbra.

Emissão de 7.960.000 notas em 29/09/1942 em primeira emissão, outra posteriormente em07/09/1943 e última emissão em25/01/0955. Retirada da circulação em 31/05/1973.

Nota em permuta 97 com o valor base de € 150.

Moçambique 1.000 Réis 01/03/1909 –Pick33 Tipo I

A/ “O Thesoureiro da Filial em Lourenço Marques”, pagará à vista ao Portador “Mil Réis” em moeda corrente “Valor recebido”.

R/ “Pagável na Filial em Lourenço Marques – Banco Nacional Ultramarino” -“1.000”

Nota Q/BELA cujo preço base é de € 800

 

A História das Moedas

 D. Fernando I -Grave (Bolhão) Miranda

 

Grave – Moeda mandada cunhar por D. Fernando, valia inicialmente 15 Soldos, passou a valer 7 Soldos e acabou valendo 14 Dinheiros. Em 1378 o Marco de prata de 11 Dinheiros custava 27 Libras e produzia 307 destes Graves, dando de ganho 280.

A/ + SI: DNS:MI:CHI:AIVTOR:NO – No campo entre 2 cruzes, um escudete coroado, tendo ao centro –F- ,(Fernandes);uma lança por detrás do escudete, corta legenda;por baixo a letra –M-, (Miranda);

R/ + FERNANDVS:REX: PORTVGA – Escudo com as quinas à volta 4 castelos em cruz.

Exemplar em apreço está MBC e vai à permuta 97 por € 1500

D.FernandoI-½Barbuda(Bolhão) Miranda

    D.Fernando I mandou lavrar as Meias Barbudas que valiam meia Libra ou 10 Soldos; depois 7 Soldos, e finalmente 14 Dinheiros.

            A/ +SI : DNS : MICHI : AIVTOR : NON – No Campo, a celada coroada à esquerda; por baixo o escudo;à direita a marca monetária – M -,(Miranda);

           R/ + FERNADVS : REX : PORTVGA – No Campo, a cruz de Cristo, tendo ao centro o escudo com as quinas, cantonado por 4 castelos. Em cima à esquerda sinal oculto. Este exemplar está MBC e vai à permuta 97 pelo preço base de € 2.500.

 

D. Fernando I Barbuda (Bolhão) Miranda

 

A Barbuda celada mandada lavrar por D.Fernando I começou por  valer  uma libra de 20 Soldos; (96Réis) e depois de 1371 passou a valer 14 Soldos, (67,2 Réis) e acabou em 2 Soldos e 4 Dinheiros

            A/ +SI : DNS : MICHI : AIVTOR : NON :TIME – No Campo, o escudo encimado da celada, coroada e ao lado a letra– M -,(Miranda);

R/ + FERNADVS : REX : PORTVGALI.AL – No Campo, a cruz de Cristo, com o escudo real ao centro; a cruz cantonada com 4 castelos.

 Este exemplar está MBC e vai à permuta 97 pelo preço base de € 2.200.

D. Sebastião I ½ Vintém (Prata) (10 Reais)

D.Sebastião I , pela lei de 22 de Abril de 1570 e em conformidade com a de 27 de Junho de 2558, ordena que os ½ Vinténs de prata de 11 Dinheiros, se lavram na razão de 2.400 Réis, o Marco de prata, tirando apenas para as despesas do seu lavramento 60 Réis em cada Marco

A/ SEBASTIANVS I.R.P. –No campo, cinco quinas em cruz.

R/ SEBASTIANVS I. R.P. –No campo cruz de Aviz.

Moeda em estado de conservação MBC e com preço base de € 1.400

 

D.João V–Peça de Minas (Ouro 916,6) 1834

 

D. João V pela lei de 29 de Novembro de 1732, mandou cunhar Peças com a letra monetária -M- Minas Gerais, de 6400 Réis, cujas emissões foram limitadas. Atingem sempre preços elevados , devido à sua raridade.

A/ JOANNES.V.D.G. PORT.ET.ALG.REX. –No campo busto de D.João V e por baixo no exergo .M. 1733.

R/ Coroa de D. João V com o escudo real.

 Moeda cuja raridade justifica o seu preço elevado e com o estado de conservação MBC tem a base de € 12.000.

 D.João VI ½ Peça de 1821(3.200Réis)- (Ouro de 916,6)

D. João VI pela lei de 6 de Março de 1821, elevou o preço do Marco e mandou correr ½Peças de inicio por 3.750 Réis e acabando em 3.200 Réis. Em 1821 foram apenas cunhadas 196 meias Peças, sendo assim de grande raridade e por isso de preço elevado.

          A/ JOANNES.VI .D.G. PORT.BRASIL.ET.ALG.REX. –No campo busto de D.João VI e no exergo 1821.

          R/ Coroa de D. João VI com o escudo real, encimada com cruz irradiada.

 Exemplar muito raro (emitidos só 196 exemplares) e em estado de conservação Q/SOBERBA tem a base de € 9.500.